Disjunção

A partir da distância mínima de 1,50m entre corpos, estabelecida para os tempos atuais, me aproprio de metros de medição usados em construção civil, ligo uns aos outros, apago seus números e escrevo um texto, uma letra a cada meio centímetro, que fala desse distanciamento social, porém pessoal, entre você e o seu outro. Quando não temos uma companhia em casa na quarentena, que nos diferencie enquanto singularidade, é tempo de se aproximar de nós mesmos, e se descolar do seu outro no qual você sabe que não é. Somente quando estamos de frente a nós mesmos, percebemos o outro que não somos. Me despeço assim, de um outro que uma vez fui.

Texto escrito no trabalho:

nas epidermias das dimensurasões o corporoso abandornado entretem desinfriccionando o eu do outro entrecortando o seu e o oposto templo apostólico apóstrofo que separa para enfim conceber nova dist ância que afastasas os tolos após a o missão dos doze algozes o conjuramento dos propagadolores não mais são dignos de auscultações atalhado pelo inflamicídio dos dias arvoararam bactericendo as asas

Disjunção, 2020

metros de medição unidos

25cm X 150cm X 1cm

* Disjunção foi produzido durante o período de isolamento social – imposto pela pandemia do Covid-19 – para a convocatória Metro y medio de distancia da galeria KIOSKO, em Santa Cruz de la Sierra, Bolívia. A versão de Disjunção publicada no HIPOCAMPO #8 é inédita, assumindo formato e configuração diferentes, além da inclusão de novas imagens.